quarta-feira, 10 de agosto de 2011

A rua mais bonita do mundo!

Recebi um email do meu amigo Emerson (Sempre me mandando coisas boas...) com fotos da "Rua mais bonita do mundo".

Trata-se da Rua Gonçalo de Carvalho em Porto Alegre, que foi decretada como Patrimônio Histórico, Cultural, Ecológico e Ambiental de Porto Alegre, em 2006.

Não sei se é a mais bonita do mundo, porque afinal não conheço lhufas, mas com certeza é deslumbrante!

O legal é que se você jogar no Google a tag "rua mais bonita do mundo" ou "Ruas Bonitas" aparece a própria!

Lógico que esse reconhecimento não veio de graça. A associação Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho foi criada quando foi noticiado que um grande edifício-garagem seria construído. 

Haeni Ficht, dentista, morador da Rua Gonçalo de Carvalho, subsíndico do edifício Ado Malagoli, era vizinho da área onde seria construída a garagem. Ele tomou a decisão de fazer algo para denunciar o que estava para acontecer. Falou com os vizinhos, procurou maiores informações e logo juntou um pequeno grupo disposto a não se omitir.

Os adversários eram poderosos. A obra seria construída no terreno de um Shopping Center, o proprietário do terreno era também dono (na época) de tradicional grupo jornalístico e ainda por cima, o estacionamento faria parte da construção da sede própria de um dos maiores orgulhos do Rio Grande: OSPA – Orquestra Sinfônica de Porto Alegre.

Lutaram como puderam: divulgaram na internet, porta a porta...muitos se recusavam por achar constrangedor ir contra a OSPA. Falavam que era uma luta perdida. A associação e seus simpatizantes eram chamados de inimigos da cultura e do progresso. Sofreram até ameaças de agressão.

Mas com a comoção popular, o direito do cidadão  foi ouvido, e veio a vitória! E a Rua Gonçalo de Carvalho foi tombada!

Infelizmente Haeni Ficht morreu antes de ver a vitória de sua rua. Mas ele servirá de exemplo sempre que alguém pensar: "Não basta querer um mundo melhor, a gente tem é que fazer!"

Trechos retirados do blog goncalodecarvalho.blogspot.com .












4 comentários:

Anônimo disse...

Ei linda, mais uma vez quero te agradecer o comentario carinhoso que fez da minha apresentação de domingo na Casa Aberta, já estou te seguindo, me siga também.
Beijos
Cinthya Hayka

Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho disse...

Obrigado por citar nossa "Gonçalo de Carvalho".
Precisamos de mais árvores nas cidades!

Elas são muito importantes, a vegetação urbana fixa cerca de 3,16 kg de carbono por m2. A grande maioria do carbono é fixo nas árvores e principalmente nas árvores de grande porte.

Cabe ressaltar que a quase totalidade das árvores da Gonçalo de Carvalho foi plantada pelos próprios moradores da rua.

Víviam Borré disse...

Que bom que gostaram! =]
Conhecemos a história por meio de um amigo de Porto Alegre, o Emerson (nós somos do Espírito Santo), e acho que essa é uma causa importante que todos devemos abraçar.
Tenho certeza que há centenas de ruas ameaçadas pelo "progresso" sem planejamento, e a luta de vocês é uma inspiração.
Obrigada!

poavive disse...

Na realidade mostrar as fotos da Gonçalo de Carvalho é muito importante para despertar nas pessoas a curiosidade, mas não explica os motivos que levaram um grupo de cidadãos a enfrentarem o executivo municipal, um shopping center e um (então) dono de importante grupo de mídia (rádio, TV e jornal.

Um grande edifício-garagem seria construído na rua, no estacionamento do shopping, com a desculpa de servir ao teatro da OSPA que seria construído no estacionamento do shopping.
A prefeitura aprovou e concedeu todas as licenças em tempo “record” de 30 dias.
Pretendiam também que (todos) os carros sairiam do shopping pela Gonçalo de Carvalho, o que levaria a alargarem a rua – retirando parte das árvores – e para maior celeridade ao trânsito ASFALTAR a rua que tem calçamento de pedra (granito).

Alguns chegavam a dizer que se os pássaros da rua migrassem para outras áreas “seria bom”, pois eles sujavam os carros que por lá passavam…
Foi uma disputa extremamente desigual mas a vitória, com a própria prefeitura a declarando patrimônio ambiental, mostrou quem tinha razão.