terça-feira, 14 de junho de 2011

SPFW Verão 2012 - 1º dia

Olhos fashionistas voltados para Sampa nessa semana, pois começou ontem a São Paulo Fashion Week Verão 2012.

A Animale abriu o 1º dia com um desfile inspirado no Campo e no litoral sul da França. Com o tema Côte D'azur, a coleção, assinada pela estilista Priscila Darolt, utilizou cores suaves como o branco, off-white e cinza, e um pouco de azul e lavanda (amo!).

Na passarela, as modelos deixaram suas costas descobertas com decotes, inspirados nos veleiros da baía mais badalada do mundo de Saint-Tropez. Vestidos, calças e bermudas apareceram em tecidos leves como seda e linho, que entraram em contraste com casacos e calças de couro.

A grande estrela foi a Top Raquel Zimmermann, que encerrou a apresentação com um macacão branco e um blazer de seda.



A segunda grife a desfilar foi a de Tufi Duek com uma coleção inspirada na arte tribal indígena. Trabalhos de cestaria, bordados com miçangas, recortes vazados, formas estruturadas, shapes sequinhos e as padronagens são alguns dos atributos marcantes nos looks apresentados pela marca durante o lançamento feito durante desfile.



Depois veio o desfile de Samuel Cirnansck que eu posso chamar de aflitivo! Tudo porque todas as modelos entraram com mordaças e mãos atadas!

Para uns fetiche, mas eu acabo encarando como uma espécie de insulto! (risos). Mas quando passa a aflição vem a delicadeza. Rendas e bordados compunham peças feitas com materiais como látex, tecidos resinados e couro sintético. O mix resultou em vestidos de shapes colados, transparentes, feitos com recortes de tecidos que remetiam às linhas geométricas. Da estética barroca, vieram as golas altas, laços, corsets e ombros estruturados. 
 


 

Um Che Guevara com nariz de palhaço ao fundo da passarela da Reserva já anunciava que a coleção de verão 2012 da marca pretendia transportar o universo cubano para o mundo da moda. Em uma viagem de turismo à ilha caribenha, o estilista Rony Meisler se impressionou com a vida que levam os cubanos e a partir daí tirou todas as suas ideias para a próxima estação. “A coleção é uma sátira a Fidel Castro. É uma comparação entre Charles Chaplin no filme O Grande Ditador (1940) e ele, mas é também uma homenagem à alegria e à felicidade do povo cubano”, declarou o designer.

As cores que mais apareceram foram o azul, o verde-bandeira, o vermelho e o off-white. Os modelos entraram marchando em clima latino com chapéus-panamá e sandálias de couro. Nos acessórios, o estilista usou broches em formato de medalhas e condecorações e cordões de guerra com cartões de crédito no lugar de placas de identificação.

Com bom humor, a coleção de verão 2012 da Reserva fechou o primeiro dia da SPFW e ganhou a aprovação do "respeitável público".

 

 
 

 


 
  

 E amanhã tem mais...

Fonte: http://revistaestilo.abril.com.br/

3 comentários:

Anônimo disse...

Que insulto!!! Detestei ver o Mestre Che Guevara com nariz de palhaço, um absurdo. Essa marca que é uma palhaça...
Giani

Anônimo disse...

O barato deve ser esse mesmo um povo explorado devendo até as cuecas o cartão de crédito, pagando juros altísssimos e não tendo onde morar, o que comer, saúde e educação das piores e paga!!!! que raiva!!!
Giani

Víviam Borré disse...

Giani, usa-se ícones de todos os tipos, tanto na moda como na arte. Tanto faz se é Che Guevara ou Jesus Cristo...